Pages

16 de janeiro de 2008

O pulso ainda pulsa


Eu pensei nesse nome porque só ele diz o que está acontecendo agora..... A mãe do meu pai uma senhora de 66 anos, cega, com apenas 6% de um rim funcionando e o outro já foi dormir. Com uma diabetes maldita. Emodíalise 3 x por semana, cateter no pescoço e mais nenhum lugar no corpo sem furos. mais com uma vontade imensa de se recuperar......... agora com as pernas travadas, está hj sendo internada na santa casa de São Paulo, sem quase falar sem reconhecer as pessoas. Eu realmente não sei o que pensar, eu não sei o que fazer, uma outra Pamela estaria agora arrumando a mochila e indo ao encontro dela para o que fosse, mais hj eu sou mãe eu tenho família e responsabilidades que não posso abandonar. A mais ou menos 5 ou seis anos eu resolvi seguir uma profissão da qual eu tinha horror, a enfermagem exatamente por causa dela, pois me tornei a responsavel legal por ela no tratamento com a dialise, mais eu não aguentei ver a minha outra avó falecer no meu colo, sozinha e sem ter para onde correr. Eu abandonei a profissão e por um tempo a vida tb. Agora por mais que tente ser confiante como ela que jura que vai ficar boa logo, eu não consigo eu não acredito em milagres, e acho que se não formos atrás as coisas não caem do céu como a pombinha que acabou de morrer. Eu vou ficar aqui quieta esperando mais notícias, ainda não sei se será a ultima mais eu quero mais notícias, já que não posso fazer nada. Espero ter tempo de ir até ela.

3 comentários:

lulu disse...

nussss, eu não ia conseguir ser enfermeira NUNCA na minha vida...

B i a disse...

Força pra vc e mais ainda pra sua vó...

menina dos cabelos amarelos disse...

florzinha, eu acho que essas nossas avós são exemplos de vida pra gente. por tudo que elas passam, por toda a força que elas mantém com elas. o que são os nossos problemas perto da luta que elas passam pra viver? nada. NADA. beijos e melhoras pra ela!