Pages

15 de abril de 2008

O meu mundo

É a fase da alegria se foi assim tão rapido, estou com aquela tristeza de novo, o Ken não tem culpa alguma e acho que ninguém tem a nãos er eu mesma........
eu não consigo me dar bem com as pessoas, eu sinto muito mesmo mais eu não consigo, eu não consigo mais sentar e conversar, rir e pararipararaa, eu me sinto meio abobalhada, estou cansada, estou me sentindo inutil.
Acho sinceramente que nunca deveria ter saído do apartamento, e antes que eu cometa um crime contra mim mesma é melhor eu não deixar as pessoas me encherem o saco.
Eu gostaria tantop de ter me dado bem com a terapia, sabe eu acho que até teria me feito bem, mais eu não consigo, eu não quero confiar nas pessoas, eu não quero confiar nem em mim.
O Fe todos podem achar que é paranóia minha mais a gente não consegue se entender e o fato de estar aqui na casa de outra pessoa me deixa ainda mais fraca e pior do que eu ja estou, eu não mando nem no meu quarto, que alías não é meu é do Ken, talvez eu não mande nem na minha roupa íntima.
Eu não conto piada, eu não consigo mais sair por ai cantando, e me sinto uma pessoa cruel e feia.
Não que eu seja mais é assim que eu me vejo quando olho no espelho.
Eu quero sair logo daqui mais como o Ken disse, eu fiz um buraco gigante no cartão de crédito, como se a unica culpada fosse eu de nossas contas estarem assim, as merdas que o irmão fez não contam nessa hora só as minhas.
Eu paro de comer para não gastar mais, já que ninguém dá trabalho para grávida mesmo, eu arrumo outras formas de não dar mais dispesas, eu só quero sair daqui, eu preciso ter a minha casa a minha vida de volta.
Estou doente desde de domingo, DRº Carla disse que é uma virose mais eu não sei não, não sinto fome, desde ontem só tomo chá, não quero conversar, briguei com o Fe hj porque ele estragou uma tira do cachecol que eu to fazendo, e caralho meu deu mó trabalho para fazer aquela merda, eu pedi implorei ele riu e puxou eu só não fiz ele voar pelo pescoço porque ele saiu de mim, porque senão ele tinha atravessado a janela de casa hj.
eu estou aflita, atrapalhada, assustada, confusa com rancor, com ódio de mim por ter deixado minha casa, por ter abandonado as minhas coisas, por medo de sabe deus o que.....
Talvez o erro todo tenha começado bem antes de tudo isso mais agora já foi, só sei que eu estou muito mal.
Para quem le o meu blog pode parecer qualquer coisa menos realmente o que eu to sentindo sabe, eu sei que muita gente deve rir de mim, e falar mil e uma, mais sinceramente que se foda, ninguém nunca vai entender o que eu estou sentindo, porque ninguém está na minha pele nem vai estar assim como eu tb não vou estar na de ninhguém.
O que vai ser de mim até o fim do ano? eu não sei, só espero não ficar doente denovo, pois desta vez ninguém vai tirar meu filho de mim, ela não vai gostar de mais ninguem mais do que de mim, e vai me amar, porque eu sou capaz de passar por cima de qualquer um que tentar tirar isso de mim, porque ela é minha só minha, eu não vou cometer o mesmo erro denovo, de achar que as pessoas chegam perto de mim para me ajudar é mentira eles querem os meus filhos e eu não deixar, eu não vou passar por tudo denovo, eu não vou perder mais um, eu me recuso a deixar a minha vida passar na frente dos meus olhos de novo e simplesmente não ter valor algum.

5 comentários:

Tati disse...

Caraca, Pam, que revolta...
A parte de morar na casa dos outros, eu sei que é muito foda mesmo... Não ter nosso banheiro, nossa cozinha, não poder andar pelada nem fazer o que quiser... Mas aguenta firme que já estamos quase no meio do ano!!! 2009 já tá chegando!!
A parte da bebê, acho que vc está sendo muito radical por conta do estresse de agora... É ruim que nossos filhos sejam "controlados" por pessoas que não nós, mas quanto mais contato eles tiverem com a família, além dos pais, é vantagem. É claro que a família não pode nunca tirar sua autoridade de mãe, mas pra isso você precisa se impor, e não esperar que os outros não ultrapassem a barreira... Melhoras, se cuida porque a bebê sente tudo o que vc sente!!!

thais disse...

ai, pam, vc precisa aprender a gritar. não precisa sair brigando com ninguém, mas engrossar a voz e falar "não. o filho é meu e EU decido". é simples, assim.

agora, palavra de quem passou por tudo isso, é melhor ter quem ajude (de longe, mas ter) do que não ter ninguém.
e olha, me desculpa, mas eu acho que o fê só tá na fase de testar limites. ele tá pedindo pra vc se impor, pra vc cuidar dele, educar. e vc precisa fazer isso todos os dias, toda hora, independente de estar feliz, triste, magoada, com dor, enjoada. não pode mudar regra nunca.
o joão, cara, é um puta chato. mas ele mesmo já sabe quando ele faz alguma coisa errada e vai pro castigo sozinho. hehehehhehehe, tadinho. mas vai. e ai de quem disser "deixa o menino...". deixa o caralho, depois eu que sofro na mão dele.

se vc não gostou dauqela terapeuta, procura outra! quem sabe?

beijo,

Ken disse...

Pam, amor,

Isso é só uma fase de nossas vidas, que vai passar.

Só te peço para ter um pouco mais de paciência que logo logo vamos ter o nosso cantinho. Talvez nem precise ser no ano q vem, mas não sei se conseguimos antes do nascimento da Helena.

Fique bem, ok?

Bjos.

Anônimo disse...

pam!
pimenta nos olhos dos outros é colírio, né?...
estar no meio do furacão é fogo mesmo, a gente olha e não vê saída... mas tem saída, sim, pam, acredite, vc não é a primeira (nem será a última) a passar por isso...
morar na casa dos outros é uma merda, mesmo, por melhor q sejam as intenções. eu sei, já passei por isso tb, igualzinho vc. eu achava q ia enlouquecerr, sufocada, encurralada... mas essa fase passou pra mim, e vai passar pra vc, tenho certeza, acredite vc tb!
achei fofésimo o ken passar aqui e te deixar recadinho!!!
então, daqui de longe (q vc nem me conhece na vida real, uma pena, né?), só acho q posso te dizer uma coisa:
tenha paciência, procure levar a vida de maneira LEVE, com serenidade. é difícil, mas procure se afastar dos atritos, viva um dia de cada vez. não faça nada radicalmente (q depois vc possa se arrepender), se segure q a tempestade uma hora passa. ah, passa!
qto ao seu filhote, releve, ele é muito pequeno, e a situação de vcs acaba dando espaço pra ele se confundir mais... não desista dele, ele é seu filho, sim, mm q vc ache q ele esteja distante, não te respeite e tals. qdo as coisas com meu primeiro filho saíam do controle (e eu morava na casa da sogra, e tinha um monte de gente palpitando), sabe o q eu fazia?
SAÍA DA CASA, ME AFASTAVA e, longe dos olhares dos outros, me entendia como menino: dava bronca, explicava, castigava (se fosse o caso), me entendia com ele. qdo a gente estava "acertado", eu voltava pro convívio dos outros.
faço assim até hoje com a minha caçula: qdo ela dá piti (principalmente pq tem platéia), eu me afasto com ela, só nós duas. é engraçado até, pq a terceira é bem teimosa, e eu tenho q ir longe, já saí de shopping, de restaurante, já fui bem longe, até a menina entender e ceder.
mas tem q entender o limite da criança tb, né? eles são pequenos e nem sempre são 100% racionais!
enfim, essa novela toda só pra dizer q eu acredito q as coisas vão se encaixar pra vc, q é só uma fase, q é duro passar por ela (eu sei), mas q vc vai conseguir!!!
uma última coisa, lembre-se q gravidez tem uma alteração hormonal enorme, e a gente fica meio alterada mesmo... rs
bos sorte aí, viu, tô torcendo por vcs!
bjs
ana b.

Anônimo disse...

Oi, Pam, achei o seu blog navegando pela net. Não o li, então, não sei a sua história, mas pelos últimos posts, acho que vc deve estar com depressão. Digo isso, porque estou me tratando e tive os sintomas parecidos com os seus. Estou tomando remédios e agora vejo que via "monstros" onde não existiam. O seu filho é seu. Deus lhe deu, as crianças são inteligentes, elas percebem quando não estamos bem. Meu filho, as vezes, me imitava também dizendo que estava doente. Pam, fique com Deus, se vc quiser pode me escrever. Procure ajuda médica, vc verá que se sentirá melhor. Falo isso de cadeira. beijos e fqiue com Deus.